7 de dezembro de 2006

Quis ela


Quisera ocupar o dia-a-dia em inquietudes sutis. Arrumar quartos, abrir janelas, dobrar as roupas e sentir que esse tempo livre tem razão de ser. Quisera ocupar o dia-a-dia em algo que cansasse o corpo e que, ao amanhecer, já me solicitasse novas rotinas.

Quisera fugir dessa sina. Está em mim, de novo, aquele sentimento assim de querer respostas quando tudo ainda é silêncio e espera.

Também, sem nem ter havido beijo, pudera.
Quisera, quisera...
Quanta balela!

3 comentários:

Déborah disse...

sensibilidade sem tamanho...
a eterna busca!

Marla de Queiroz disse...

Grande achado...
E eu enfiada numa dessas suas frases sem nem ter havido beijo.
Um encontro silencioso...
Adorei teu texto.

Parabéns.
Beijos.

Filipe Macedo disse...

Nossa...nunca o google me trouxe um blog tão impressionante como este...estou adorando conhecer o trabalho do David...simplesmente..

tocante!

bons ventos...